d

Right marquee directionAlter

domingo, 21 de fevereiro de 2010

A ÁGUA

Escrito por Manoel Maria Barbosa du Bocage
Um clássico da literatura portuguesa:


Meus senhores eu sou a água
que leva a casa, que lava os olhos
que lava a rata e os entrefolhos
que lava a nabiça e os agriões
que lava a piça e os colhões
que lava as damas e o que está vago
pois lava as mamas e por onde cago.

Meus senhores aqui está a água
que rega a salsa e o rabanete
que lava a lingua a quem faz minete
que lava o chibo mesmo da casca
tira o cheiro ao bacabau da lasca
que bebe o homem que bebe o cão
que lava a cona e o berbigão.

Meus senhores aqui está a água
que lava os olhos e os grelinhos
que lava o sangue das grandes lutas
que lava sérias e lava putas
apaga o lume e o borralho
e que lava as guelrras ao caralho.

Meus senhores aqui está a água
que rega as rosas e os manjericos
que lava o bidé, lava penicos
tira mau cheiro das algibeiras
dá de beber às fressureiras
lava a tromba a qualquer fantoche, e,
lava a boca depois de um broche.
Divulguem esta pérola da literatura...
e poupem a água para bem do nosso planeta!!!
IsaImage and video hosting by TinyPic

4 comentários:

AGUINALDO disse...

Que Grande Poeta foi Bocage...
Então popem a Água pois precisamos muito dela.

Obrigado Querida Mami Poeta Almadense ( Algarvia )...

VIAJANDO E PULANDO disse...

ola adorei seu blog ,muito lindo estou te acompanhando um abraço de Manaus AM Brazil
goreth tercas

Salete Cardozo Cochinsky disse...

Olá Isa
Obrigada por visitar e deixar comentário em meu Blog.
É maravilhoso podermos ter referências de tantos outros que escrevem.
Especialmente dos poetas reconhecidos mundialmente por suas capacidades poéticas, que são sempre um louvor a vida.
Beijos

Luís Coelho disse...

É pena que o contraste não deixe ler o poema. Tira-lhe a graça.

Diria bendita a água pura
Que sacia a sede da jornada
Que se bebe simples sem nada
Que nos é dada com ternura.

Beijos e bom fim de semana